Notícias

Rua Santo Antônio, s/n - Itatiaia
Ouro Branco / MG - CEP: 36420-000

contato@osbemtevis.org.br
           

Associação Os Bem-Te-Vis apresenta andamento do restauro da Matriz de Itatiaia (Ouro Branco/MG)

Comunidade acompanha as obras, ansiosa pelo retorno da grandiosidade da igreja

Voltar

Na tarde fria de 27 de junho, a comunidade de Itatiaia, localidade de Ouro Branco/MG, reuniu-se na Matriz de Santo Antônio para acompanhar o andamento das obras de restauro do templo, comandadas pela Associação Sócio Cultural Os Bem-Te-Vis. Com a presença de Gilson Ribeiro, representante da empresa Ânima Conservação e Restauro, e de Olinto Rodrigues dos Santos Filho, representante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) de Tiradentes, os moradores conheceram o trabalho realizado até o momento e ainda tiveram boas notícias:  uma das peças que havia sido roubadas da Matriz foi recuperadas pela Polícia Federal.

Wilton Fernandes, da Associação Sócio Cultural Os Bem-Te-Vis ressaltou que as obras são fruto da união da comunidade. Foi a ação comunitária que permitiu a primeira intervenção na igreja, com o projeto luminotécnico e de prevenção de incêndios, em 2004. Já o projeto de restauro integrado da igreja foi iniciado em 2010 e, após, aprovação nos órgão competentes e captação, as obras começaram em dezembro de 2014. O assoalho e o telhado do templo também estão sofrendo intervenção, para dar mais segurança aos fiéis e aos bens culturais e patrimoniais de seu interior.

O restaurador Gilson Ribeiro deixou claro que gosta de descobrir a história e devolvê-la para a comunidade. “Quero fazer o melhor e deixar a igreja muito bonita”, afirma, ressaltando que as intervenções de restauro serão realizadas até onde é possível. Ele também chamou a comunidade a se responsabilizar por seu patrimônio: “Não deixem perder a história de vocês!”, completa.

 Olinto Rodrigues dos Santos Filho, do escritório do Iphan em Tiradentes/MG, trouxe um pouco da história da Matriz, com o relato de Dom Frei José da Santíssima Trindade, escrito em 1824, que contou como era o templo e sua comunidade. Olinto também informou que  uma peça furtada da igreja em 1994 foi recuperada pela Polícia Federal e já se encontram sob a guarda da Arquidiocese de Mariana.

A prefeita de Ouro Branco, Cida Campos, esteve presente à tarde cultural na Matriz de Itatiaia, por meio das ações da Associação Sócio Cultural Os Bem-Te-Vis, e ressaltou o respeito e o cuidado que a comunidade de Itatiaia tem com seus bens culturais. “Esta comunidade não deixa a história se perder, tem amor à terra e respeita os costumes”, enfatiza.

A tarde teve, ainda, apresentações culturais. Heverton Ferreira, professor das oficinas de Teatro oferecidas gratuitamente pelos Bem-Te-Vis à comunidade, apresentou um esquete em que abordou o restauro da igreja e a recuperação dos bens da comunidade. Os alunos da oficina de Violão também se apresentaram. Quem fechou a tarde foi Dona Jandira, uma das fundadoras dos Bem-Te-Vis, cantora alagoana que escolheu Ouro Branco para viver.  

Matriz de Santo Antônio – Itatiaia

 A Matriz de Itatiaia foi construída na primeira metade do século XVIII por iniciativa das irmandades do Santíssimo Sacramento, Nossa Senhora do Rosário dos Pretos e São Benedito. Apresenta duas etapas distintas de construção. A parte dos fundos do templo (capela-mor e corredores laterais) foi executada em estrutura de madeira com vedação de pau-a-pique e aparenta ser a primitiva capela original. A ela foram acrescidas, posteriormente, a atual nave, as torres e o frontão, em pedra. (Fonte: Iphan)

Durante o início da década de 1980, a matriz ficou exposta às intempéries climáticas, que acabaram por danificar os altares laterais e colaterais da nave e o forro, que foi perdido. O trabalho de restauro dos bens integrados da Matriz de Santo Antônio é realizado pela Associação Sócio Cultural Os Bem-Te-Vis, em parceria com o Banco  Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e com o apoio Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Ministério da Cultura (MinC) e do Governo Federal. O projeto prevê a recuperação do interior da construção, contemplando elementos artísticos como retábulos, púlpito, arco-cruzeiro, balaustrada da nave e pia batismal. Também estão contempladas a reforma do assoalho, a instalação de câmeras de segurança, a laminação do telhado e a restauração do acervo de imaginárias.